terça-feira, 30 de junho de 2015

Rio Judeu...


 


 Rio Judeu…


O rio gostaria de me acorrentar,

Mas anseia ondular-me para outro lugar…

Nesta terra de pescadores,

Onde pude ser o que sou,

Algo, em mim, mudou…

Mas o rio limita-se apenas a escutar-me:

E, no meu imaginário,

Ele continua a ser-me fiel e a abraçar-me.



E eu digo-lhe:

- Não chorarei

As minhas lágrimas de sal…

A minha alma a ti pertence,

Embalar-me-ás para uma outra maré

Ó, meu rio, meu rio sem igual.

Eu em ti deposito toda a minha transparente fé.




 Cristina Pinto
Imagem in:   
 http://permanentereencontro.blogspot.pt/2010_09_01_archive.html

Sem comentários:

Enviar um comentário