quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Pescador da Margem Sul




Pescador da Margem Sul


Encontro-me numa terra distante,

distante da minha.

Uma terra onde,

por vezes,

avisto o pescador

que lança ao rio a sua rede,

aguardando por um bom peixe

que alimente a sua preocupação,

a sua humilde gente,

a sua sede.



Todos os dias,

vai em busca de uma nova esperança,

procurando o braço do rio judeu,

aguardando um novo amanhecer,

um novo começo,

um novo céu.



As suas mãos

são a arma da sua sobrevivência.

E o seu olhar reflete-se à superfície do rio

que não cessa de brilhar.

No rio,

ele mergulhará as suas mãos,

revelando a Deus a sua arte de pescar.



Mãos que denunciam uma arte ancestral,

cuja pele queimada pelo sol

não o faz desistir.

Pobre pescador que,

todos os dias,

se prepara para o que há de vir

sem nunca cessar de pescar,

sem nunca desistir.

Cristina Pinto, 15-11-2014

fotografia in: http://www.panoramio.com/photo/52789797

Sem comentários:

Enviar um comentário