sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Obsessões






Qualquer obsessão
É sempre um problema,
E por esta razão,
Compus este poema.

Um dia,
Tu foste experimentar…
A droga entranhou-se em ti,
Acabaste por gostar,
E a tua vida acabou aí.

Não te conseguiste desligar,
Nela estavas sempre a pensar,
Não te conseguias focar,
E a droga acabou por ganhar.

Sabes que ela se tornou uma obsessão,
Tu tiveste e tens que admitir,
Ouve a voz da razão,
Para o céu não teres de subir.

Finalmente,
Chegou o dia,
A droga ganhou,
O teu corpo definhou,
De forma destrutiva e progressiva,
E, no fim,
A tua família chorou.
Mariana Santos, 6.ºG

    A aluna elaborou este poema para o concurso literário da editora Lua de Marfim.
 

Sem comentários:

Enviar um comentário