quinta-feira, 16 de junho de 2011

As andanças do poeta

O espectáculo «As Andanças do Poeta», realizado a 29 de Abril de 2011, foi o culminar de um conjunto de actividades que, envolvendo as disciplinas de Língua Portuguesa e Educação Musical, procurou dar corpo às palavras de Georges Jean,

«A poesia mergulha as raízes, as próprias origens da linguagem nas profundezas do ser, do corpo e da alma» (Georges Jean, Na Escola da Poesia, p.155).

Com a finalidade de explorar a linguagem poética, fosse ela em verso ou em prosa, nas suas várias dimensões sensoriais e artísticas, demonstrando que a linguagem poética é, essencialmente, uma forma de existir ancestral e que se manifesta no corpo, na sensibilidade e na imaginação, as turmas do 8º ano (A, B e C) e alguns alunos do 9º ano (turma A), procuraram, em colaboração com as professoras Ana Maria Homem e Sofia Venceslau, apresentar uma nova forma de ser, estar, ver, ouvir e sentir a Poesia. Transformando o acto poético num acto criador, mas, igualmente, num acto lúdico que se sente e se dá a sentir, pelos vários sentidos – audição, paladar, tacto, olfacto e visão –, procuraram transformá-lo em «corpo que fala», como Zumthor afirma, mas simultaneamente em corpo que se escuta.

O espectáculo contou com três apresentações, na tentativa de fazer chegar um pouco desta magia poética aos diferentes ciclos de ensino e à comunidade educativa em geral. Assim, houve uma apresentação para o 3º ciclo, outra para o 2º ciclo e, no período da tarde, uma para o 1º ciclo, sessão, igualmente, aberta para a restante comunidade educativa.
Foi uma actividade que envolveu, de forma dinâmica e integrada, não só os alunos que participaram, mas também aqueles, alunos, professores e outros elementos da comunidade educativa, que assistiram, pois consideraram a actividade como uma excelente oportunidade para contactar com novas e diferentes realidades, aprendendo mais sobre este corpo falante e ouvinte que se transformou em corpo lúdico dos sentidos, corpo que permitiu adquirir um outro conhecimento e relacionamento com o Ser e o Mundo que nos rodeiam.

Foi, igualmente, uma oportunidade para, mais uma vez, se afastarem alguns dos pré-conceitos que envolvem a Poesia e aquele que a escreve, o Poeta, mostrando que a poesia não é uma linguagem arcaica, «fora de moda», absurda e incompreensível, antes pelo contrário é a linguagem universal dos sentidos, dos sentimentos e das emoções, sendo passível de ser complementada por outras linguagens que, já a alicerçam, como a expressão musical e corporal.
Professoras Sofia Venceslau e Ana Homem

Sem comentários:

Enviar um comentário