quinta-feira, 16 de junho de 2011

MARÇO, MÊS DA LEITURA E DA POESIA

§  ENCONTRO COM O ESCRITOR AUGUSTO CARLOS


No dia um de Março, os alunos do 5.º e 6.º ano estiveram presentes numa sessão com o escritor Augusto Carlos do qual tinham estudado “Contos da Natureza” em Estudo Acompanhado, no âmbito do Plano Nacional de Leitura. Os alunos gostaram muito desta obra, visto tratar-se de contos sobre animais, personagens de quem eles tanto gostam. Convidados a completar alguns dos contos desta obra, os alunos produziram textos muito interessantes que, no dia da sessão com o escritor, leram e lhe ofereceram assim como um acróstico feito na aula, com o seu nome. O encontro com o escritor decorreu num clima de entusiasmo em que o escritor satisfez a curiosidade dos ouvintes, respondendo a questões postas por eles e contando as suas vivências que deram origem a alguns dos seus contos.

Professora Manuela Costa

§  LEITURAS ANDARILHAS...
COM O ESCRITOR JOAQUIM SAIAL

No dia 16 de Março, o professor Joaquim Saial realizou uma sessão de leitura do conto “Arroz do Céu”, do escritor José Rodrigues Miguéis, para o 5.º B. A sessão decorreu com grande animação e interesse por parte dos alunos. Para além da leitura do conto, estes visualizaram aspectos da vida e obra do autor, através de um powerpoint que o professor Joaquim Saial criou para o efeito.

A história, integrada no livro “Gente de Terceira Classe”, retrata a figura de um emigrante pobre de Nova Iorque que tinha a profissão de limpa-vias do metropolitano da cidade. Frequentemente, via cair no seu local de trabalho grande quantidade de arroz, sem saber que o mesmo era resultado do escorregamento por um respirador do metro do arroz que os convidados de sucessivos casamentos atiravam a noivos numa igreja próxima. Esse arroz, que ele atribuía a graça divina, acabava por ser parte importante na alimentação da sua família e óptima ajuda para quem tinha um pequeno ordenado.

José Rodrigues Miguéis (Lisboa, 1901 – Nova Iorque, 1980), que foi um dos mais brilhantes escritores da sua geração, passou grande parte da sua vida nos Estados Unidos da América, onde exerceu a profissão de professor universitário. O seu longo exílio deveu-se a discordâncias com o sistema político não democrático que na altura vigorava em Portugal. Em 1979, como reconhecimento dos serviços que prestou à cultura e Língua Portuguesa, foi agraciado com o grau de Grande Oficial da Ordem Militar de Santiago da Espada.


§  LEITURAS ANDARILHAS ...
COM O PROFESSOR JOAQUIM SARMENTO


Uma história em escrita criativa de Shel Silvester, conjugando sabiamente a ilustração e o texto, numa obra aparentemente singela, emocionante e com uma mensagem forte e intrepelativa.

Foi esta história que partilhei com os alunos e alunas do 5.º E e 5.ºF., no contexto acolhedor do CREPT, no dia 23 de Março.

Pretendia-se desta forma sensibilizar para o respeito pelo reino vegetal, tantas vezes esquecido e mal tratado na escola e na comunidade, mas cada vez mais necessário para a preservação do equilíbrio ecológico e a preservação da vida na Terra.

Inseria-se ainda no âmbito do Dia Mundial da Floresta, inspirada na Festa da Árvore, ideia pioneira que o nosso patrono promoveu no Seixal em 1907 e rapidamente se generalizou a todo o país.

Penso que foi uma aposta relativamente bem sucedida, mas limitada a um tempo lectivo não permitiu no final o desenvolvimento da reflexão colectiva, que esta história poderia potenciar.

Professor Joaquim Sarmento

POESIA: SENTIR... IMAGINAR... VIAJAR!

Esta actividade, «POESIA: Sentir… Imaginar… Viajar!» foi concebida no âmbito da comemoração do Dia Mundial da Poesia e do mês da Leitura.                                         

A Escola não deve ser apenas um local de saber(es), deve ser um local de cultura, um local de constantes e variadas aprendizagens, onde as crianças se formam e não apenas são instruídas. E é neste contexto que surge a exploração da Poesia, linguagem «global» do ser, do corpo e da alma, como Gaston Bachelard afirmava. Esta linguagem que nos acompanha desde a infância, que percorre os vários estádios da nossa vida surge como forma passível de comunicação, de expressão da imaginação, da sensibilidade do ser e do estar de cada um de nós.

Convidar os alunos a entrar na Poesia é desmitificar a noção vaga e aborrecida de Poesia, que serve apenas para mais uma avaliação; apagar os medos; brincar com as palavras, os sons, os sentidos. Convidar os alunos a entrar na Poesia é proporcionar aos alunos matéria-prima para a (re)invenção do seu mundo, imaginário e ser.

Com o intuito de dar, então, a conhecer uma outra visão da Poesia, procurou-se criar uma sessão para o 2º ciclo de motivação à leitura e à escrita da Poesia.

Nos caminhos que se encetaram, a palavra poética surgiu como um dos utensílios essenciais para a criação da Poesia. Deixou-se, no final deste percurso os alunos com um dos muitos sentidos da Poesia, «Quando for grande, quero ser um brincador», Álvaro Magalhães.

Consciente de que os alunos devem não só aprender, mas aprender a fazer, a estar e, acima de tudo, a ser, creio que a Poesia os pode conduzir a esse processo de ensino-aprendizagem mais «global» e espero que estes alunos (ou pelo menos alguns) tenham encontrado no dizer e escrever poético, na exploração das palavras e dos seus universos a possibilidade de encontrarem novas formas de viverem, sobreviverem, imaginarem e verbalizarem o seu Mundo, aqueles que os rodeiam e o seu próprio ser e estar, expressando o inexpressável, tornando visível o invisível e descobrindo o que ainda não foi descoberto!  

Professora Sofia Venceslau


CAFÉ COM POESIA

    As turmas D, E e F do 7º ano, C e D do 9º ano, com a colaboração da professora Deolinda Almeida, num projecto no âmbito da disciplina de Língua Portuguesa, comemoraram o Mês da Poesia (Março) "com um café a degustar / e um poema a saborear..."
  



Nos dias 22, 23 e 24 de Março, foram ofertados poemas inéditos e poemas de poetas portugueses bastante conhecidos, a todos os professores e funcionários que café tomaram. Deste modo, as turmas participantes esperam ter adocicado, com uma pitada de poesia, muitos cafés e proporcionado um momento relaxante no dia-a-dia stressante de todos aqueles que nesta escola trabalham.


OS TROVADORES

Para celebrar o Mês de Março, Mês da Poesia, as professoras de Língua Portuguesa, Cristina Carvalho, Anabela Santos, Paula Antunes, Manuela Costa, Maria João Monteiro, Maria José Rosado do 2.º ciclo e Deolinda Almeida do 3.º ciclo motivaram os seus alunos a participarem na actividade “Trovadores” que teve lugar na semana de 14 a 18 de Março.

Num ambiente de festa, os alunos saíam das suas salas para irem a outras turmas apresentar poemas declamando-os, dramatizando-os ou cantando-os, por vezes acompanhados de música.


Foi uma semana de convívio com a leitura onde os alunos se habituaram a ouvir a poesia bater-lhes à porta convidando-os a passar alguns momentos de prazer.
Professora Manuela Costa

Sem comentários:

Enviar um comentário