domingo, 31 de maio de 2015

Voltar a ser criança






Sentada sobre a cama, paro por um momento. E eis que entram os risos de uma criança pela janela dentro.

Inocência hilariante que contagia a minha alma solitária: que melodia singela: risos que abriram a minha janela.

Perto da minha zona de residência, os pupilos, aquando o recreio, devem estar a saltar à corda, a correr ou a cantar.

Cerro os meus olhos para continuar a ouvir. Resguardo-me no meu silêncio e agradeço o que eu estou a sentir.

Elas vivem no mundo da brincadeira onde reina a imaginação. Com a sua criatividade brincam, e brincam em contramão.

Talvez as meninas estejam a saltar à corda do tempo, sentindo a brisa suave do vento.

Talvez os meninos chutem a bola ou estejam prontos a devorar o que trazem na sua sacola.

E ponho-me a imaginar o que estarão a fazer, sentindo saudades da criança que fui e que já não sou. Eu mudei, e o meu tempo de menina já lá vai. Olhando para trás, tudo mudou.

Amanhã, será um novo dia. E as suas risadas voltarão a encher-me de alegria.

E adormeço num mundo de fantasia: volto a ser criança como que por magia.

E volto a nascer. E volto a reviver o que fui e o que, provavelmente, continuo a ser.

Adormeci embalada pela mãe.

Voltei a ser criança.


                                                                                               Cristina Pinto
Imagem in:
http://www.terapiadecrianca.com.br/brincadeira-de-crianca/

Sem comentários:

Enviar um comentário